28 Dec 2007

Haiku (Worte) / Haicai (Palavras)

"Worte" .. "Palavras"
Digital Art by Chris Herrmann © 2007


Haiku (Worte)

Hände schlagen Mensch
und können Herzen töten.
Worte auch, Seelen.

^Chris-Schmetterling^
Chris Herrmann


Haicai (Palavras)

Mãos batem na gente,
ferem, matam corações.
Palavras, as almas.

Chris Herrmann
^Chris-Borboleta^

))§((

Haiku (Die Brücke) / Haicai (A Ponte)

"Die Brücke" .. "A Ponte"
Digital Art by Chris Herrmann © 2007



Haiku (Die Brücke)

Auch eine Brücke
kann Ihre Liebe zeigen,
grenzenlos, frei lassen...

^Chris-Schmetterling^
Chris Herrmann


Haicai (A Ponte)

Até uma ponte
pode mostrar seu amor,
sem limites, livre...

Chris Herrmann
^Chris-Borboleta^

))§((

25 Dec 2007

Haiku (Raupe und Schmetterling / Haicai (Larva e Borboleta)

"Raupe und Schmetterling" .. "Larva e Borboleta"
Digital Art by Chris Herrmann © 2007


Haiku (Raupe und Schmetterling)

Der Schmetterling
fliegt ganz frei das erste Mal
ins Herz der Raupe.

^Chris-Schmetterling^
Chris Herrmann



Haiku (Larva e Borboleta)

Larva-borboleta
estreando vôo livre
em seu coração.

Chris Herrmann
^Chris-Borboleta^

))§((

22 Dec 2007

Haiku-Kette / Haicai ( Auf den Tisch ... / Sobre a Mesa... )

Art by Chris Herrmann © 2007


Haiku-Kette (Auf den Tisch...)

Vieles auf den Tisch,
und so viele kleine Augen
sehen dieses nicht.

Vieles auf den Tisch,
und so viele kleine Münder
essen aber nicht.

Und wenn man wem fragt
mit großen Augen und Mund:
"Alles auf den Tisch!?"

^Chris-Schmetterling^
Chris Herrmann

[ Eine Bemerkung: Das Haiku in Portugiesisch (Sobre a Mesa...) wurde am Dez-22-2007 im Portal "Blocos Online" (einer der größten von Literatur Portale in internet) gewählt als "Thema Poesie Natal (Weihnacht) des Monates" und kann man das finden
noch auf der 1. seite oder direkt hier. ]




Haicai (Sobre a Mesa...)

Muito sobre a mesa
e outros tantos olhinhos
nada disso vêem.

Muito sobre a mesa
e outras tantas boquinhas
nada pra comer.

A quem perguntar
com olhos e bocas grandes:
"Tudo sobre a mesa!?"

Chris Herrmann

[ Uma observação: Este Haicai (Sobre a Mesa...) foi escolhido ontem,
22.dez.2007, no Portal "Blocos Online" (und dos maiores portais de
literatura da internet) para a "Temática mensal de Natal" e pode
ser encontrado na chamada de capa
ou direto aqui. ]




^Chris-Borboleta^

))§((

19 Dec 2007

Das Meer und der Berg

"Das Meer und der Berg" .. "O Mar e a Montanha"
Digital Art by Chris Herrmann © 2007

Das Meer und der Berg

Ich bin das Meer.
Manchmal bin ich ein Fluss
der in der Welt entmündet.
Ich fliesse durch Freud und Leid.
Plural und natürlich bin ich,
ich lösche den Durst des Augenblicks.
Ich höre Klagen und nähre Leben.
Ich bin Lärm und Bewegung.
Und wer bist du, oh kalter Stein?
Du, der sich versteckt ohne Eile
und der in seiner Stille lebt?
Ich bin der Berg.
Manchmal hart und sanftmütig,
ich bin die Zeichen der Zeit.
Dicht und bedeckt
ich berreichere und gebe Kraft
Ich bin Schutz für Dich und den Wind
(Ihr, die mich täglich besucht)
und verändere mich innerlich.
Das Innere ist meine Bewegung.
Die kristalisierte Seele des Seins,
Samen, Wut und Angst.
Und wenn ich schweige, liebes Meer,
weil ich in mir versteckt bin
und verstecke in mir
die tiefsten Geheimnisse.
Dez.2005
^Chris-Schmetterling^
Christina Magalhães Herrmann

^Chris-Borboleta^

))§((

18 Dec 2007

Haiku / Haicai (Ohne Mundworte)



Es glänzt durch den Mond
die Schönheit der Himmelskörper.
Ohne Mundworte.

^Chris-Schmetterling^

Christina Magalhães Herrmann




^Chris-Borboleta^

))§((

27 Nov 2007

Haiku (Augen) / Haicai (Olhos)



Haiku (Augen)


Unter zwei, vier Augen
in nur einem Augenblick:
unendliche Tränen.

^Chris-Schmetterling^

Chris Herrmann



Haicai (Olhos)

Dois e quatro olhos,
em um só momento:
lágrimas sem fim.

Chris Herrmann

^Chris-Borboleta^

))§((

17 Nov 2007

Phönix



PHÖNIX

Wie ein Phönix aus der Asche
steigt empor der kleine Schmetterling.
Träumt von großen Flügeln
um die Sterne zu erreichen.
Befreit sich vom Übel
im bunten Mittagsleuchten.


^Chris-Schmetterling^

Christina Magalhães Herrmann


^Chris-Borboleta^

))§((

3 Sep 2007

Viva os teus Sonhos

"The Bird" - Digital Art - Chris Herrmann, 2007


Viva os teus Sonhos


Cante para ouvir os pássaros.
Silencie para dizer a si mesmo.
Escreva para falar às almas.
Feche os olhos para enxergar melhor.
Sonhe para alcançar o grande vôo.
Voe para tocar a realidade.
Viva os teus sonhos.

Lebe deine Träume

Singe, um die Vögel zu hören.
Schweige um sich selber zu sagen.
Schreibe für die Seelen.
Schliess deine Augen, um besser zu sehen.
Träume, um zu schweben.
Fliege, um die Wirklichkeit zu berühren.
Lebe deine Träume!



Christina Magalhães Herrmann

^Chris-Borboleta^
^Chris-Schmetterling^

))§((


"Vôo
( Versos dedicados à poeta Chris Herrmann )


Voe os teus sonhos,
pouse a liberdade em cada olhar.
Siga a intuição da canção
que cada alma entoa
na dança da vida - pássaro voa...

tonho frança - 5.Set.2007"


30 Aug 2007

Haiku (Butterflies´ Rainbow)


Haiku (Butterflies´ Rainbow)

It´s raining tears.
Dark night ending in flowers.
Butterflies´ rainbow.


Christina Magalhães Herrmann
30.08.07


^Chris-Borboleta^

))§((

Breve poema

Drawing Hands - lithograph, 1948 - M.C.Escher


A vida é como um breve poema.
Podemos escolher se queremos ser o papel,
a caneta ou a mão que o escreve.

Chris Herrmann



Christina Magalhães Herrmann - Ago/2007



^Chris-Borboleta^

))§((

23 Jul 2007

Haicai (Sol e Lua) / Haiku (Sonne und Mond)



Lua Minguante
esconde-se em suas sombras;
sol, lua-de-mel.

^Chris-Borboleta^


Christina Magalhães Herrmann





^Chris-Borboleta^

))§((

Se eu fosse um pássaro



Se eu fosse um pássaro…


Se eu fosse um pássaro

A vista seria mais bela.

Inimigos não existiriam na tela.

O Senegal seria logo ali.

Ódio de Dragões, somente, viveria

e o amor claro como o cristal.

Tal qual o mundo, imbatível, o seria.


Christina Magalhães Herrmann



^Chris-Borboleta^

))§((

10 Jun 2007

Haicai (Enamoragato)




Enamoragato
- destilado enluarado -
céu embriagata.



Christina Magalhães Herrmann

^Chris-Borboleta^

))§((

Borboletas na Barriga




“Borboletas na Barriga”

Algo assim que não se explica
Melaço colorido e doce ardor

Como um quê de quero mais

Do perfume que toca o eterno

Um calor no charme do inverno

Como um quê de quero mais

É um rio que de amor me irriga

Intriga e embriaga-me demais

Trazendo encanto à minha vida

Como um quê de quero mais

Como borboletas na barriga


^Chris-Butterfly^


Agosto
/2005



„Butterflies in my Belly“

Something one can't explain

Colored melted sugar and a sweet pain

A taste of wanting more

Of the heavenly divine smell

A cozy feeling that at charming winter dwells

A taste of wanting more

Like a river that floods me with love

Intrigues me making me fly like a dove

Bringing magic into my life

A taste of wanting more

Just like butterflies in my belly


^Chris-Butterfly^

August/2005





^Chris-Borboleta^

))§((

22 May 2007

Poetry or not to be!


fonte: www.lyon.edu


"Poetry or not to be!"

[Christina Magalhães Herrmann]




^Chris-Borboleta^

))§((

13 May 2007

Haicai (Içá veio pra almoçar)




saúvas saúdam
- içá veio pra almoçar
petê saudações

Christina Magalhães Herrmann



^Chris-Borboleta^

))§((

26 Apr 2007

SACIEDADE DOS POETAS VIVOS - DIGITAL


SACIEDADE DOS POETAS VIVOS – DIGITAL


Clique Aqui





A OBRA IMPRESSA


SACIEDADE DOS POETAS VIVOS foi uma coleção publicada pela Editora Blocos, durante a década de 1990, em 13 volumes. Ficou famosa por ser apenas 17 autores por antologia, e por ter conseguido reunir poetas de renome entre os participantes. Outro elemento diferencial: a característica temática, servindo de elo de ligação entre diversos tipos de propostas estéticas. Diversas cabeças pensantes escrevendo sobre um mesmo tema fornecem uma visão bem mais abrangente do assunto, e um material de reflexão muito maior.

Diferente do que possa parecer, o título da Coleção de Poesia não é uma paráfrase do filme “Sociedade dos poetas mortos”. É uma paródia dele, uma crítica a uma política cultural que dá mais valor aos poetas quando morrem do que aos que estão vivos na atualidade, o que gera uma enorme saciedade – no sentido de aborrecimento, tédio e fastio – em todos nós artistas da palavra.



A OBRA DIGITALIZADA

A partir 2006, a Coleção foi reativada com a mesma orientação editorial, só que agora, digitalizada e dentro do portal Blocos Online, que é um dos maiores e mais importantes espaços literários na Internet, reconhecido inclusive pela UNESCO, com cerca de 3.000 a 5.000 leitores por dia, aproximadamente 40.000 arquivos online e já com 8.500 autores – nacionais e internacionais –, sendo mensalmente acessado por mais de 80 países, nos quatro continentes.

A SACIEDADE DOS POETAS VIVOS pela Internet possui duas enormes vantagens: a tiragem, impressa, era de 1.000 exemplares, portanto, um público estimado em mil leitores; on line, esse número de leitores quase que centuplica em apenas um mês, sem ser necessários gastos com remessa e riscos de extravio de Correio. O outro benefício da obra on line é não ser vendida, portanto não exigir que o autor fique com exemplares em casa, ou que saia em campo para deixá-la em consignação.

O sucesso do vol. 1 disponibilizado em 25 de outubro de 2006 foi tão grande que, em janeiro de 2007, já eram lançados mais dois volumes, e já se pensa no próximo.



AUTORES


VOLUME 1

• Anderson Braga Horta • Carlos Arthur Newlands Júnior • Cathia de Almeida • Christina Magalhães Herrmann • Clodomir Monteiro • Cristina Rios Leme • Fabbio Cortez • Galdino Moreira Neto • Graça Graúna • Idalina de Carvalho • Jandira Zanchi • Leila Cristina Carvalho • Maria Dalva Junqueira Guimarães (Madellon) • Merivaldo Pinheiro • Onna Agaia • Solange Firmino • Vera Casa Nova

Tema: poeta/poesias



VOLUME 2

• André Martins • Astrid Cabral • Darlan Alberto Tupinambá Araújo Padilha (Dimythryus) • Débora Novaes de Castro • Eliana Mora • Eunice Arruda • Fernando Mendes Rosendo • Juçara Valverde • Lázaro Barreto • Márcio Catunda • Marco Bastos • Rogel Samuel • Romério Rômulo • Rosy Feros • Sandra Falcone

Convidados especiais: Glauco Mattoso e Neide Archanjo

Tema: memórias.



VOLUME 3

• Antônio Lázaro de Almeida Prado • Cláudia Belchior • Cláudio Schuster • Ivan Miziara • Lúcia Nobre • Luiz Paulo Serôa • Paula Cury • Regina Pouchain • Rita Moutinho • Sheila Pavanelli • Terêza Tenório • Vânia Moreira Diniz • Vera Vilela • Wilson Guanais • Xenïa Antunes

Convidados especiais: Affonso Romano de Sant'Anna e Gilberto Mendonça Teles

Tema: Corpos



VOLUME 4

• Ana Wilinski • Cármen Rocha • Christina Magalhães Herrmann • Condorcet Aranha • Fabbio Cortez • Fernando Paganatto • Gerson Ney França • Gisele de Carvalho • Leila Míccolis • Maria da Graça Almeida • Márcia Sanchez Luz • Marlene Andrade Martins • Patrícia Evans • Rizolete Fernandes • Silvia Paiva

Convidados especiais: Lêdo Ivo e Suzana Vargas



A SACIEDADE DOS POETAS VIVOS DIGITAL – Vol. 4 teve como tema, sugerido por Urhacy Faustino, “Entre quatro paredes”: a casa e as relações familiares: os cômodos (quarto, sala, cozinha), os objetos (televisão, geladeira, escrivaninha), os animais de estimação, as pessoas (pais, filhos, amantes), os sentimentos (cansaço, rotina desgaste, amor). As pessoas e os seus cotidianos. Seus sonhos e pesadelos. Seus medos e frustrações, seus humores, suas construções e desmoronamentos diários. Seus fantasmas. Dezessete poetas com abordagens interessantes e variadas sobre o assunto, algumas mais polêmicas e impactantes, como as de Fernando Paganatto, Leila Míccolis e Patrícia Evans, outras mais líricas como as de Ana Wilinski, Gisele de Carvalho e Silvia Paiva; há ainda a existencial de Maria da Graça de Almeida, a filosófica de Gerson Ney França, a multifária de Chris Herrmann, a clássica de Condorcet Aranha, a crítica de Cármen Rocha, a ontológica de Márcia Sanchez Luz, a instigante de Fabbio Cortez, a metafórica de Marlene de Andrade Martins, a lúcida de Rizolete Fernandes. Convidados especiais, prestigiando o projeto dois nomes reconhecidos nacional e internacionalmente: Lêdo Ivo, que é inclusive do Conselho Administrador do portal Blocos On line e Suzana Vargas.

Foi lançada dia 23 de abril de 2007, Dia Internacional do Livro, criado pela UNESCO.



CRÉDITOS

Capa: Vande Rotta Gomide

Título: Eduardo Feijó Netto Machado

Seleção de autores e textos: Leila Míccolis

Webmaster: Urhacy Faustino

Apoio cultural e Divulgação: CaravanaCult (Christina Herrmann e Clauky Saba)

Realização e hospedagem: Blocos Online http://www.blocosonline.com.br

E-mail: blocos@blocosonline.com.br




^Chris-Borboleta^

))§((

14 Apr 2007

Haicai (Esperanto)




Malkreskanta luno
kaŝigas en liajn ombrojn;
suno, mielluno.
^Chris-Borboleta^
Christina M. Herrmann
...
Tradução:
Lua Minguante
esconde-se em suas sombras;
sol, lua-de-mel.


^Chris-Borboleta^

))§((

6 Apr 2007

Faca Afiada



Faca Afiada

Da faca afiada
atirada sobre a mesa
ouço vozes.
Elas me falam
de teus medos,
algozes,
da tua dor sombria
e de um choro
incessante,
sem lágrimas.
Contam-me tudo
que em teu peito
aponta:
- a tua desgraça.
E traz na ponta
a cegueira
que já não me corta
mas a ti, inteiro,
despedaça.


^Chris-Borboleta^

))§((

Corrimão



















Corrimão

Ouço passos
subindo degraus.
Aproximam-se.
Cerro os olhos
e tu vens sorrindo.
Fala comigo!
Tomo distância
e não entendo.
Continuas vindo.
Vejo apenas
um corrimão
de sons e cheiros
a entorpecerem
tuas mãos,
como taças de vinho
sobre a mesa,
à espera do pão.


^Chris-Borboleta^

))§((

17 Mar 2007

Antologias 2006 do CF4 no XIV CBP

A "Trilogia" (3 antologias de poesia) da comunidade no orkut Café Filosófico ´Das Quatro´ (CF4), que foi editada sob a coordenação de Ademir Antonio Bacca, Christina M.Herrmann, Edith Janete e Colaboradores, com apoio do Proyecto Cultural Sur e lançada no XIV Congresso Brasileiro de Poesia, em Outubro.2006 na cidade de Bento Gonçalves/RS.



^Chris-Borboleta^

))§((

( Feminina entoa )

















Feminina entoa

corpo que se abre em flor
- Borboleta voa.


^Chris-Borboleta^

))§((

9 Mar 2007


Feminina lua,
agita os mares do tempo
com sua face nua.


Calmamente lua,
brilhante, ilumina a terra
de verdade crua.

^Chris-Borboleta^

))§((

27 Jan 2007


Uma nota cai:
cântaros, farão alguns,
outros cantarão.

Uma asa cai:
penachos, farão alguns,
outros voarão.


Christina Magalhães Herrmann

^Chris-Borboleta^

))§((

25 Jan 2007




Criança é graça,
risinho que contagia
- dor do mundo passa.



Christina Magalhães Herrmann


^Chris-Borboleta^

))§((

4 Jan 2007

Tuas mãos querem voar


escultura de August Rodin,
"La Cathedrale"


Tuas mãos querem Voar

Tuas mãos querem voar.
Apanhar meus gritos
e trazê-los aos céus
da tua boca
de teus sonhos.

Pintá-los risonhos
em seus felizes
deslizes.
Dedilhar meus

cem sentidos
na tua alma-ímã.

E à parte
dos meus e teus

dez encantos
prover matizes
^ e asas ^
: fazer de nós
tua obra-prima.


Chris Herrmann