6 Apr 2007

Faca Afiada



Faca Afiada

Da faca afiada
atirada sobre a mesa
ouço vozes.
Elas me falam
de teus medos,
algozes,
da tua dor sombria
e de um choro
incessante,
sem lágrimas.
Contam-me tudo
que em teu peito
aponta:
- a tua desgraça.
E traz na ponta
a cegueira
que já não me corta
mas a ti, inteiro,
despedaça.


^Chris-Borboleta^

))§((

2 comments:

Sônia Ortega said...

Chris.. ainda não conhecia esse seu espaço.. Muito gostoso voar com a borboleta. Gostei muito do seu poema; as palavras interagem com o leitor..Bjs

laura said...

Vc sabe, Chris quanto eu gosto do q faz...mas tenho por este poema uma particular preferência.
É realmente um dos poemas mais belos que li.

beijos e como sempre, minha admiração.