25 Jun 2009

Hugo Pontes e a Poesia Visual

Chris Herrmann


Há muito que admirava a obra artística de Hugo Pontes, quando em 2006 tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, no XIV Congresso Brasileiro de Poesia em Bento Gonçalves/RS e, assim, selar uma bela amizade. Meu livro de Haicais que está para ser lançado a qualquer momento, conta com a sua brilhante revisão e comentário. Aprendo sempre com este escritor de vanguarda, um dos precursores da Poesia Visual no Brasil, movimento que começou a despontar timidamente nos anos 70, ousando novos experimentos que não se estagnaram no Concretismo.


Hugo Pontes é natural de Três Corações-MG onde nasceu a 22 de julho de 1945. É formado em Letras/ Língua Portuguesa e Língua Francesa e Respectivas Literaturas. Tem especialização em Literatura Brasileira. É professor de Língua Portuguesa, aposentado pelo Estado de Minas Gerais;

Professor de Redação na Universidade de Alfenas, Campus de Poços de Caldas; Supervisor Pedagógico da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas.

É jornalista e colabora escrevendo para diversos jornais de várias cidades de Minas Gerais. Em Poços de Caldas colabora com o Jornal da Cidade, Jornal da Mantiqueira e Jornal de Poços.


Com relação a suas atividades literárias e de pesquisa histórica apresenta em seu currículo uma extensa lista de atividades relacionadas com a poesia, o poema visual, o ensaio e a história. Tem 25 obras publicadas entre livros-solo e antologias. Sua obra de criação literária está voltada para o Poema Visual. Em 1997 publicou pela Editora Plurart’s "Defesa de Tese: Poemas sem Fronteiras; Em 2002 publicou Poemas Visuais e Poesias, pela editora Annablume e, em 2007, fez a reedição do mesmo livro.

Desde 1996 é um dos organizadores e curador da Mostra Internacional de Poemas Visuais de Bento Gonçalves-RS.


Mantém o sítio www.poemavisual.com.br , pioneiro para divulgação de poemas visuais de poetas brasileiros e do exterior.


Os poemas Nós e Rendição estão entre as suas obras visuais mais conhecidas.






O videoclipe produzido por Jiddu Saldanha para homenagear o poema "Nós" inspirou um "Haigato" de Hugo Pontes e Chris Herrmann:


Nós dois e o gato.

De onde parte a ação?

Quem provoca quem?



.

2 comments:

Rogerio Santos said...

Chris, espetacular a obra do Hugo Pontes... Mais uma pedra preciosa de Minas...
Abraços,
Rogerio

Gustavo Felicíssimo said...

Gostei do seu blog, madame. Mas não consigo gostar de poesial concreta ou visual. Para mim tem poesia, claro, mas não é um poema em si. Manda brasa!