5 Feb 2009

Wilsinho



WILSINHO

daquele olhar ligeiro
companheiro de mim mesmo
solidão de irmã, de terceiro
saudade arde sem pressa
sem arco, mas flecha

certeira


entre folhas rasgadas
do livro
sem resenha

da eternidade ao peito
sem jeito

do grito surdo
abafado
e só



Chris Herrmann
^Chris-Borboleta^

))§((

3 comments:

Lianara Kerkhoff said...

Lindo, Chris!!
Lindo demais...
A sua sensibilidade aflorando na linda mensagem, misturada de saudade.
Também sinto falta dele...como explicar o amor que sentimos por alguém que nunca vimos?
Nunca nos vimos, mas eu sentia a doçura e a generosidade sempre presente nos recados do Wilsinho.
Saudades....muitas...

Um beijo e um abraço carinhoso pra você, querida Chris!
Lia

Teresa Mavignier said...

Muito tocante o poema para seu irmão...

Rosangela Jacinto said...

Muito lindo mesmo!