30 Jun 2009

Diga-me, Paulo Ciranda!

O novo cineclipe “DIGA-ME”, do projeto Cinema Possível, foi gravado com imagens do Rio de Janeiro, a partir do poema escrito a 4 mãos pelo Ícaro e a Borboleta ( Byafra e Chris Herrmann ), com música e interpretação de Paulo Ciranda. Dirigido por Jiddu Saldanha - Junho de 2009.




Um pouco de Paulo Ciranda

Cantor, compositor e violonista, nasceu a 3 de novembro de 1956, em São Fidélis - RJ.

Estudou flauta transversa e teoria musical com Hector Costita – SP, 1977.

Ciranda é o cantor e compositor que faz escala nos ‘‘festivais de música popular’’ pelo interior do Brasil, com participações no programa ¨Som Brasil¨(TV Globo), Feira de Cultura (TV Cultura SP), trabalho de pesquisa musical para a minissérie ¨Zumbi dos Palmares¨(TVE-Rede Brasil). Tem gravações em parceria com Dalto, Byafra, Amelinha, Marcos Sabino, Artur Maia e Nilo Pinta. Seu primeiro disco “Terra à Vista” foi lançado em 92 pela Niterói Discos, onde se encontra a canção “Água Ardente”, sucesso na voz de Byafra em trilha de novela Global. Em 98, lançou o CD independente “Mata Atlântica”, onde se encontra a faixa “Brisa de Itaipú”, executada pelo Discovery Channel. Em 2001 lançou o CD “Bicho Grilo” com Marcos Sabino e Forró Bem-te-vi, onde se destaca o Xote “Forró em Lumiar”. Em 2005 lançou o CD ‘‘Amore, Amour, Love, Amor“, pelo seu próprio selo “Prema”, seguindo na temática da ecologia e dos valores humanos, com músicos do primeiro time, tais como: Arthur Maia, Nilo Pinta, Paulão Menezes, entre outros. Apresenta-se com o grupo de violão e voz, cantando suas composições e dando sua interpretação pessoal a canções de: Zeca Baleiro, Geraldo Azevedo, Cássia Eller, Adriana Calcanhoto, Zé Ramalho, Gilberto Gil, e outros mais. Em 2006 e 2007 lançou os CDs ‘‘Tudo de Bom‘‘ e ‘‘Forrozando‘‘.

26 Jun 2009

A Arte de Airam Magalhães



Airam Magalhães é carioca, viúva de militar, mãe de seis filhos e artista plástica. Dedicou-se muito à pintura nos anos 80, bem como à organização e promoção de diversas exposições de artes e eventos culturais. Foi uma das Diretoras da ABD (Associação Brasileira de Desenho), onde recebeu uma Comenda por seus serviços prestados à Arte Brasileira.


Abaixo, um óleo sobre tela de 1986 de Airam, que ela me presenteou e exibo com orgulho no meu apartamento aqui na Alemanha.




Sítio da ABD (Associação Brasileira de Desenho) com a indicação da Comenda dedicada à Airam e a outros artistas pelos serviços prestados em prol da nossa cultura.



(Airam, de vestido azul, no centro da foto, quando recebeu a Comenda)


Após dedicar-se às artes alguns anos junto à ABD, Airam trabalhou também por conta própria, como promoter, até final dos anos 90/início de 2000 com uma equipe de colaboradores, onde o artista que não possuísse recursos (mas realmente posuísse talento) participava das exposições coletivas gratuitamente e obtinha o mesmo tratamento que os outros. Para Airam, o importante era que o artista não desistisse de seus ideais e tivesse a oportunidade de ter um começo digno. Muitos deles estouraram e há alguns que hoje vendem seus trabalhos em galerias no exterior. Airam nunca se importou em aparecer na mídia e nem fazia questão de divulgar sobre a Comenda que recebeu. Nem os vizinhos sabiam. Seu maior orgulho e realização era saber que os artistas estavam obtendo sucesso no caminho que escolheram. Mãe, eu também me orgulho muito de você. Parabéns, pela contribuição exemplar à Arte em nosso país.
.

25 Jun 2009

Hugo Pontes e a Poesia Visual

Chris Herrmann


Há muito que admirava a obra artística de Hugo Pontes, quando em 2006 tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, no XIV Congresso Brasileiro de Poesia em Bento Gonçalves/RS e, assim, selar uma bela amizade. Meu livro de Haicais que está para ser lançado a qualquer momento, conta com a sua brilhante revisão e comentário. Aprendo sempre com este escritor de vanguarda, um dos precursores da Poesia Visual no Brasil, movimento que começou a despontar timidamente nos anos 70, ousando novos experimentos que não se estagnaram no Concretismo.


Hugo Pontes é natural de Três Corações-MG onde nasceu a 22 de julho de 1945. É formado em Letras/ Língua Portuguesa e Língua Francesa e Respectivas Literaturas. Tem especialização em Literatura Brasileira. É professor de Língua Portuguesa, aposentado pelo Estado de Minas Gerais;

Professor de Redação na Universidade de Alfenas, Campus de Poços de Caldas; Supervisor Pedagógico da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas.

É jornalista e colabora escrevendo para diversos jornais de várias cidades de Minas Gerais. Em Poços de Caldas colabora com o Jornal da Cidade, Jornal da Mantiqueira e Jornal de Poços.


Com relação a suas atividades literárias e de pesquisa histórica apresenta em seu currículo uma extensa lista de atividades relacionadas com a poesia, o poema visual, o ensaio e a história. Tem 25 obras publicadas entre livros-solo e antologias. Sua obra de criação literária está voltada para o Poema Visual. Em 1997 publicou pela Editora Plurart’s "Defesa de Tese: Poemas sem Fronteiras; Em 2002 publicou Poemas Visuais e Poesias, pela editora Annablume e, em 2007, fez a reedição do mesmo livro.

Desde 1996 é um dos organizadores e curador da Mostra Internacional de Poemas Visuais de Bento Gonçalves-RS.


Mantém o sítio www.poemavisual.com.br , pioneiro para divulgação de poemas visuais de poetas brasileiros e do exterior.


Os poemas Nós e Rendição estão entre as suas obras visuais mais conhecidas.






O videoclipe produzido por Jiddu Saldanha para homenagear o poema "Nós" inspirou um "Haigato" de Hugo Pontes e Chris Herrmann:


Nós dois e o gato.

De onde parte a ação?

Quem provoca quem?



.

23 Jun 2009

A arte e a ciência


arte digital: chris herrmann - 2009


A arte e a ciência
Byafra e Chris Herrmann

Não há método que tudo prove
e nem destino inexoravel
A ciência não é exata
e nem a arte indomável.

Pois quando a dúvida o percorre
nem toda ciência é maleável,
nem toda arte o nó desata,
mas consciência é articulável.
.

22 Jun 2009

Happy Birthday to me :-)

O meu amigo poeta, professor, desenhista e carnunista Rubens Antonio me deu este lindo presente. Adorei a surpresa! Obrigada, Rugens, inesquecível!

19 Jun 2009

Diga-me



Diga-me
Byafra e Chris Herrmann

Diga-me, Borboleta,

quantas pétalas tem a rosa?

Quanta prosa tem o velho?

Quantos anos tem a pedra?

Quantas feras tem o circo?

quantos gritos tem o gol?


Quantas pernas tem a aranha?

Quanta manha tem a gata?

Quantos metros tem a estrada

onde a minha namorada

escondeu o seu amor?


Diga-me, grande Ícaro,

quantos nós tem a gravata?

Quanto brilho tem a lata?

Quanta caça tem a mata?

Quantos selos tem a carta

que o meu amor deixou?


Quantos céus descobriremos?

Quantas luas dormiremos?

Quantas chuvas beberemos?

Quanto amor diluiremos

prum sorriso eternizar?

.

17 Jun 2009

Haicai - Série Flores (1)


arte digital: chris herrmann - 2009


vão-se os anéis

no espaço entre a vida

e o luto das flores


Chris Herrmann

.

16 Jun 2009

Tributo a Leo Lobos

Leo Lobos é um artista visual e poeta chileno que abraça a arte com paixão, vibração e cores. Tive a satisfação de conhecê-lo através de outro amigo multitalentosíssimo, o mímico e poeta Jiddu Saldanha. Leo e eu temos uma instigante parceria, onde nossa arte é orquestrada com muita poesia e belas imagens. Nosso projeto do momento são haicais meus (alguns em português e outros também em alemão) que ele tem traduzido para o espanhol, para publicação em revistas de arte em seu país, juntamente com seus incríveis desenhos. Leo pretende, além disto, lançar um livro com nossos trabalhos e já tem o meu sinal verde.


Abaixo, dois exemplos de seus trabalhos visuais que tanto aprecio. Abstração e muito a dizer - numa inquietante composição de traços , luzes e cores - são a sua marca.





No vídeo abaixo, Leo Lobos dá alguns retoques na sua pintura mural (2,5 m de Altura x 7 m de comprimento), no pátio central da biblioteca do Centro Bibliotecario de Puente Alto, em Santiago do Chile, em 12 Abril de 2007. Música por Marcos Lobos.





“Este trabajo contó con la participación especial de Marcos Lobos en guitarra. Mis agradecimientos a Sabina Galvez del Valle y a Pablo Olea Aceituno y a todos los funcionarios del Centro Bibliotecario de Puente Alto que han colaborado de una u otra manera con esta iniciativa cultural. Gracias. Grabado en el Centro Bibliotecario de Puente Alto, Santiago de Chile, en abril 12 de 2007. Leo Lobos“


Leo, mi querido amigo y compañero en el arte, creo que es más fácil describir lo que sentí con la poesía y un homenaje a usted con esta haikai en portugués. Espero que os guste. Besos.


a tela sorrindo

não teme as cores pulsantes

: o branco explode


Chris Herrmann

14 Jun 2009

Haicais "rebeldes"

Chris Herrmann


Muita gente ainda se pergunta o que significa "Haicai", também conhecido como "Haikai" no Brasil e "Haiku" no Japão e na maioria dos países do mundo.


Haicai é um poema com 3 pequenos versos, de origem japonesa. Chegou ao Brasil no início do século 20 e hoje conta com muitos simpatizantes, praticantes e estudiosos por todo o país. No transplante para outros países, como para o Brasil, o haicai sofre alterações em suas regras básicas, seja na tentativa de adaptá-lo à estrutura das línguas (como no "american haiku"), ao espírito social da época ou à sede de inovação, nem sempre bem visto ou aceito por parte de seus adeptos.


As quatro regras básicas do haicai clássico japonês são:

  • poema de 17 sílabas japonesas, em três versos de 5, 7 e 5 sílabas
  • contém alguma referência à natureza (diferente da humana)
  • refere-se a um evento particular (não é uma generalização)
  • apresenta o evento como "acontecendo agora", e não no passado.

Há também outras sutilezas típicas do haicai original, como colocar-se como observador do evento e não parte dele. Trazer em seu último verso algo a surpreender o leitor. Escrever com simplicidade, mas trazer reflexão.


Entretanto, há várias correntes de haicaístas pelo mundo que variam entre os que não aceitam a tese de que as línguas ocidentais são muito diferentes do japonês e, por isso, cabe mudanças/adaptações; os que aceitam apenas pequenas adaptações e os que, gradualmente, são flexíveis a releituras contemporâneas deste poema conciso.


Abaixo, dois vídeos que editei com meus (um tanto "rebeldes") haicais: O primeiro em português e o outro em alemão; imagens minhas em arte digital e música de fundo do grande compositor de rock e blues J.J. Cale, "A Thing Going On" (algo está acontecendo).


* Vale lembrar, apenas, que o vídeo foi ao ar antes do novo acordo ortográfico da língua portuguesa entrar em vigor. Portanto leia-se "voo" e não "vôo".




12 Jun 2009

Línguas em extinção - Alarme!

Chris Herrmann

Um problema sério e alarmante que vem acontecendo sistematicamente e passa despercebido por muitos. Mais de 7000 línguas do mundo estão em drástico declínio. Mais da metade podem morrer no próximo século, desaparecendo antes que elas sejam registradas ou documentadas. A Pop! Tech, a plataforma online de legendagem dotSUB, a National Geographic e o etnolínguista K. David Harrison fizeram uma parceria para solucionar o problema da extinção de línguas e ajudar a mobilizar um público global para evitar a perda do conhecimento humano e da cultura.

Escolha a língua desejada e assista ao vídeo com a palestra do Dr. Harrison, esclarecendo o porquê da extinção das línguas ser um problema bem mais grave do que se possa imaginar. Todos nós sairemos perdendo, e não apenas a comunidade na região da língua extinta.




Fonte: poptech.org.

11 Jun 2009

Cairo de Assis Trindade - entrevistado no CF4



Clique AQUI para acessar o tópico da entrevista na Comunidade Café Filosófico Das Quatro no Orkut.com, lembrando que, primeiro, você deve ser cadastrado no Orkut e, segundo, membro da comunidade.

Cairo de Assis Trindade

Escritor, estudou Direito e Comunicação. Tem quatro livros de poesia publicados, participa de várias antologias; teve duas peças de teatro encenadas e atualmente prepara o próximo livro.
Trabalhou como ator nas peças "D.Quixote", "Hair", "Hoje é Dia de Rock", "O Arquiteto e o Imperador da Assíria". Dirigiu três peças de teatro.
Criou a "Gang", faz recitais e performances poéticas pelo Brasil, com "A Dupla do Prazer". Dirige a Gang Edições e a Editora Contemporânea. Ministrou também Oficinas de Criação Literária no Sindicato dos Professores SINPRO-Rio.
É copydesk e colaborador da Agenda da Tribo (São Paulo).
Ministra oficinas literárias há mais de 15 anos. A Oficina de Criação Literária Cairo Trindade existe desde 1993, num espaço ao ar livre, em sua varanda com vista para o mar, ao lado da estação do metrô Siqueira Campos, em Copacabana.

Homenagem do CF4 a Cairo Trindade


.

9 Jun 2009

A Poetisa - artigo publicado na Alemanha

Chris Herrmann

O artigo "A Poetisa", sobre o meu trabalho cultural e, em especial, com a literatura, foi publicado com destaque nas primeiras páginas do jornal impresso de Maio/2009 do Círculo Brasileiro de Colônia e.V. na Alemanha, com distribuição, inclusive, para a Embaixada Brasileira em Berlim e o Consulado em Frankfurt.
O Boletim do Círculo Brasileiro, que este ano comemora seus 30 anos de existência, é um informativo mensal com notícias do Brasil, relações Brasil-Alemanha e atividades brasileiras no exterior. Tem um teor jornalístico e cultural elevados.
A Diretoria é composta pelas brasileiras Darci Weihs, Presidente, e Sônia Schneider, Vice-Presidente. Os colaboradores são Katia e Stefan Wittke.



(clique nas imagens para vê-las em tamanho natural)


Abaixo, a transcrição da matéria publicada:

"Chris Herrmann – Christina Magalhães Herrmann nasceu e cresceu no Rio de Janeiro. Estudou Literatura na UFRJ, Música (Piano e Teoria Musical) no CBM e, parcialmente, Teologia e Filosofia na FACEN. Fez outros cursos, incluindo Marketing (na ESPM) e Básico de Administração (FGV). Ainda no Rio, trabalhou muitos anos como Secretária Executiva Bilíngue e Tradutora. Ela chegou à Alemanha em 1996 e, desde então, vive com sua família em Hilden, uma cidade próxima a Düsseldorf. Seus dois filhos, segundo ela mesma destaca com satisfação, são sua fonte inesgotável de inspiração. Chris vem trabalhando na Alemanha com traduções e Web-Design, além de dedicar-se à Literatura com paixão. O Haicai – poema de três versos de origem japonesa – tem tornado seu trabalho poético ainda mais popular na internet e em publicações impressas. Em Novembro de 2007, foi nomeada Consulesa do Movimento Poetas del Mundo em Düsseldorf, Convite este feito pela Sra. Delasnieve Daspet poeta e Embaixadora Universal da Paz para o Brasil. Muito musical, Chris Herrmann também já compôs música, algumas em parceria com Roberto de Oliveira Costa. Atualmente, escreve para a coluna "Orkultural” de Blocos Online. Vem criando e mantendo blogs e comunidades virtuais de sucesso, nos assuntos filosofia, ciências, artes (especialmente literatura), e onde se realizam entrevistas arrojadas com nomes que vêm se destacando em diversas áreas e que já estão sendo editadas para compor o próximo número da revista impressa „Tempo Brasileiro”, sob o título de „Cultura e Cyberespaço“. Ela vem participando e organizando movimentos poéticos, como foi o caso de cinco antologias de poemas de suas comunidades virtuais, em parceria com o Congresso Brasileiro de Antologia, em Bento Gonçalves/RS, nos anos de 2006 e 2007. Chris tem trabalhos publicados (impressos e digitais) no Brasil, EUA e Espanha. Seu próximo livro solo „Voos de Borboleta“ – uma coletânea com 178 haicais em português, alemão, esperanto, inglês e italiano. A revisão foi feita pelo escritor Hugo Pontes (considerado o „Papa“ da Poesia Visual no Brasil), prefaciado pela escritora e novelista Leila Míccolis (autora de „kananga do Japão” e “Barriga de Aluguel”), co-editora de „Blocos Online“ – um dos maiores portais literários do Brasil. Há, também, comentários do próprio Hugo Pontes, Antonio Mariano Lima (poeta), Janete Schaefer (Psicóloga e ensaísta) e Pedro Lyra (poeta, professor, ensaísta e crítico literário). O livro já foi entregue à editora e, em breve, estará disponível para a venda. Mas já é sucesso antes mesmo de seu lançamento, como se pode observar pelos inúmeros comentários elogiosos dos fãs, junto a entrevistas que ela vem concedendo em sites literários.


HAICAI


A criança dança,

rodopiando a lembrança

à margem do tempo.


Chris Herrmann



TANKA


Voa passarinho,

vento o livre de mansinho

do peso do homem.


Arranha-céus não conseguem

concretizar as estrelas.


Chris Herrmann



Fonte:

www.christinaherrmann.com

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chris_Herrmann

www.blocosonline.com.br

www.autores.com.br/ChrisHerrmann"

.

8 Jun 2009

ZZ Top - Rock de Barba, Cabelo e Bigode em Zitadelle

Chris Herrmann

Primavera na Alemanha. No dia 7 de Junho de 2009, domingo, Zitadelle, um antigo Forte localizado em Mainz (próximo a Frankfurt, na Alemanha), amanhece sorrindo, ainda que com chuvas esparsas. A cidade se preparou durante meses para receber um grupo de rock bastante querido em toda a europa: ZZ Top. Formada em 1969, a banda de rock Texana teve seu início através de uma outra chamada “The Moving Sidewalks“.

Com apenas 3 membros: Billy Gibbons (vocal e guitarra) Dusty Hill (vocal e baixo) e Frank Beard (bateria), ZZ Top é sensação onde se apresenta. Teve muito destaque, principalmente, nas décadas de 70 e 80. As letras de suas músicas são satíricas e inteligentes. O som da guitarra bastante original. Billy Gibbons e Dusty Hill se apresentam com uma longa barba, óculos escuros e roupas extravagantes. A Gillette chegou a oferecê-los, em 1984, 1 milhão de dólares para que eles se apresentassem num comercial, logicamente sem suas barbas. Eles preferiram as barbas. Muito queridos em sua terra natal, receberam a honra da criação do dia ZZ Top.


eu presente! (foto de lothar kuhn em 7.6.2009)

Zitadelle se transformou num formigueiro de fãs e eu estava lá, impressionada com a alegria contagiante que abateu-se sobre o gramado, diante do palco. Enquanto a banda não chegava, mais fãs se aglomeravam e parecia uma romaria de chegada, sem fim. Haviam barracas de bebida e de artigos da banda, que vendiam mais que cerveja. Por volta das 20 horas, um jogo de luzes e um solo de guitarra risca o céu... seu eco cumprimentava a todos que, a esta altura deliravam, pulavam de alegria e não se importavam em parecer crianças. É ZZ Top chegando, A emoção tomou conta dos fãs que acompanhavam os maiores sucessos dançando e cantando como se fosse o último dia de suas vidas. Não eram mais expectadores, pareciam parte da banda.



zz top: talento e irreverência
(foto de lothar kuhn em 7.6.2009)

Muito simpáticos e irreverentes, os componentes da banda misturaram alemão e inglês para travar um pequeno e divertido diálogo com a galera. Eu também dei boas risadas. Difícil foi o concerto chegar ao fim, os pedidos de bis eram massivos e apaixonados. Naqueles momentos, não haviam diferenças nem jogos de interesses ou facções. Estas que pusessem “suas barbas de molho“. Éramos ali uma família cujo único partido, como bem disse uma vez o Byafra, era o da Arte. Uma belíssima festa de louvor ao bom e „velho“ rock clássico, que Zitadelle jamais esquecerá. E eu também não.

.

6 Jun 2009

Haigatos - Haicats

por Chris Herrmann


Haigatos nada mais são que haicais com a temática Gatos. Comecei a "arranhá-los" alguns anos atrás quando tive o prazer de conhecer o grande mímico, poeta e artista plástico Jiddu Saldanha. Lembro que fiquei encantada com seu blog de Haigatos, pois eu já era uma apaixonada por haicais e sempre amei gatos. Tive vários quando criança. E os dois mais recentes, e que ficaram mais tempo em nossa casa, foram o Robin e o Tommy. Aliás, eu é quem dava os nomes e que gostava de ser mãe deles.

Falo sobre isso na entrevista que concedi ao Jiddu no blog Haigatos. Minhas duas irmãs não aceitavam ser tias, também eram mães. Na mesma entrevista, eu conto a aventura de tentar levar o Tommy a primeira vez ao veterinário no colo. Eu não era mais tão criança, mas o suficiente ingênua para acreditar que ele iria se comportar. Não fiz outra coisa senão ficar correndo atrás dele... e os vizinhos? Ajudando a procurá-lo e rindo (não necessariamente nesta ordem).

Robin e Tommy eram siameses, muito manhosos, belos e bagunceiros. O que não surpreende quem já os teve. Os gatinhos que os antecederam eram de outras raças, mas igualmente lindos (mãe de gato também é coruja, por mais estranho que esta afirmação soe! rs).

Pois ficaram algumas fotos e muitas lembranças em nossa memória das aventuras felinas em nossas vidas. E, por isso mesmo, tenho muito prazer em trabalhar os haigatos, como no slide-show abaixo, com 7 haigatos em inglês e português, totalmente inéditos. A música de fundo, "Year of the Cat" do Al Stewart, me traz uma lembrança única e maravilhosa do festival de música que participei com duas composições. em parceria com Roberto Oliveira Costa, no Rio de Janeiro, quando tinha 13 anos. Formamos uma banda para a nossa performance ao vivo, comigo ao piano, claro. Nesse mesmo festival apresentou-se - ainda como "caloura" - Fátima Guedes. E, durante os intervalos das apresentações, tocou-se muito "Year of the Cat", música até então pouco conhecida. Entretanto, ela ficou eternizada na minha memória e agora, também, "remasterizada" junto aos meus haigatinhos. Enjoy!

Year of the Cat - Haicats/Haigatos from Chris Herrmann
Link no YouTube


.
.

5 Jun 2009

Haicais - série Mar



crista arrepiando
na onda verde-amarela
: túnel do instante

Chris Herrmann




furacão dos mares
abre porta para o céu
: casa iluminada

Chris Herrmann




onda de cristal
floreia o céu de amanhã
: prepara-se a noite


Chris Herrmann




nova descoberta
dos coqueiros curiosos
: a luneta ruiva

Chris Herrmann



(fotos do álbum de Célia Veríssimo, Orkut)

3 Jun 2009

CITAÇÕES: "Arte de Viver" - Byafra

.

arte digital: chris herrmann, 2009




"A poesia sempre esteve presente.

Além de músico, sempre fiz letras de música.

Acho que um movimento muito importante está surgindo na internet.

Um movimento do qual você participa com muito afinco.

A tendência - e o cinema de alguma forma já faz isso - é unir todas as artes em espetáculos únicos.

A arte como manifestação em favor de um novo modelo de vida, um novo modelo de mundo, sem os atropelos da economia.

Um mundo onde não seremos apenas engrenagens de uma máquina, um mundo que não seja mudo à miséria, um mundo que nos dê prazer, um mundo humano e inteligente.

Por isso, acho que os artistas devem se unir para fazer manifestações artísticas pelo partido da arte, da arte de viver."


Byafra, no
Bate-Papo com o Cantor e Poeta BYAFRA
na comunidade Café Filosófico "Das Quatro"
.

2 Jun 2009

Jack Kerouac e o Haicai Americano

por Chris Herrmann


Jack Kerouac (12.03.1922 - 21.10.1969) foi um romancista americano, escritor, poeta e artista de Lowell, Massachusetts. Juntamente com William S. Burroughs e Allen Ginsberg, ele está entre os mais conhecidos escritores (e amigos) da chamada "Geração Beat".


O trabalho de Kerouac foi muito popular em sua época, mas também causou polêmica. Recebeu poucos elogios da "crítica especializada" durante a vida. O grande reconhecimento veio após a sua morte. Hoje, ele é considerado um importante e influente escritor que inspirou vários outros, incluindo Tom Robbins, Lester Bangs, Richard Brautigan, Johnny Knoxville, Ken Kesey, e escritores do Novo Jornalismo. Kerouac também influenciou músicos como The Beatles, Ben Gibbard, Bob Dylan, Tom Waits, Simon & Garfunkel, Ulf Lundell e Jim Morrison. Os livros mais conhecidos de Kerouac são "On the Road" (consagrado mais tarde como a "bíblia hippie"), "The Darma Bums", Big Sur" e "Visions of Cody".






"O haicai americano não é exatamente como o haicai japonês. O haicai japonês é rigorosamente disciplinado em dezessete sílabas. Porém, uma vez que a estrutura da línguagem é diferente, não creio que os haicais americanos devam preocupar-se com sílabas porque o discurso americano está em constante renovação... expandindo-se no inguajar popular.


Acima de tudo, um Haicai deve ser muito simples e livre de maiores estratagemas poéticos, formar uma imagem e ainda ser arejado e gracioso como uma Pastorella de Vivaldi". (tradução de Chris Herrmann)


Jack Kerouac - 1922-1969


.